Aluno idealiza caneta gabarito e patenteia ideia

09 | 06 | 2014
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
O aluno do curso do MBA em Business Inteligence, Ricardo Zitelli, acaba de patentear sua ideia: uma caneta especialmente desenvolvida para o preenchimento de gabaritos.

Ele explica que o projeto surgiu durante suas aulas de graduação em Sistemas de Informação na Toledo Prudente, ainda em 2013, quando o professor da disciplina de Empreendedorismo e Inovação, Oscar Fujita, sugeriu um trabalho prático.
 
“Fiquei preocupado, pois não conseguia pensar em nada de muito inovador. Nesta época, estava prestando concursos e percebi que perdia muito tempo preenchendo os gabaritos. Foi então que pensei se não existia nada que pudesse facilitar aquela tarefa durante o preenchimento”, diz.
 
Ele ressalta que após, pesquisou se havia alguma ferramenta útil para este fim, mas não encontrou nada semelhante, então percebeu que seu projeto se daria por meio da criação de uma caneta gabarito.
 
“Apresentei o trabalho para o professor e ele gostou e ao final da disciplina, sugeriu que eu levasse a ideia adiante. Dai então surgiu o trabalho de montar o projeto, obter parcerias e idealizar o produto”, comenta Ricardo.
 
Estreia – A Toledo Prudente é a primeira empresa a adquirir mais de mil (1000) unidades do material. “Trata-se de um projeto que nasceu dentro da Toledo Prudente e nada melhor do que sermos os primeiros a apoiar e comprar o projeto, além de reconhecer o potencial do idealizador, que é nosso aluno”, comenta a diretora administrativa da Toledo Prudente, Maria Inês de Toledo Pennacchi Amaral.
 
O material será utilizado pela primeira vez no Vestibular Programado 2015 da Toledo Prudente, que acontecerá neste domingo (8), às 9h. Cada vestibulando receberá uma unidade para o preenchimento do gabarito. Os candidatos concorrem a uma vaga no curso de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Gestão Financeira, Marketing, Serviço Social e Sistemas de Informação para 2015 na Toledo Prudente.

 
Patente – O idealizador do projeto comenta que ao perceber que a ideia não havia sido patenteada anteriormente, foi indicado o processo de patente, que garante ao seu titular a exclusividade para explorar a divulgação e também de forma comercial a sua criação. 
 
“Agradeço a todas as pessoas que me auxiliaram neste processo, desde o momento da criação, idealização e agora, na colocação do produto no mercado. Estou bastante feliz pelo produto estar em fase de implantação e já termos uma solicitação de utilização da instituição de ensino superior de onde a ideia surgiu”, comenta o idealizador, Ricardo Zitelli.
 

 

ASSUNTOS
RELACIONADOS