Egresso atua como investigador em instituto europeu

14 | 02 | 2011
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente

Por meio de um convite feito pelo antigo reitor da Universidade de Coimbra, em Portugal, José de Faria Costa, o egresso do curso de Direito da Toledo Presidente Prudente Caíque Tomaz Leite da Silva passou a fazer parte do Instituto de Direito Penal  Econômico e Europeu (IDPEE), como investigador.

De acordo com o egresso, que é doutorando na mesma universidade (saiba mais), o Instituto analisa os crimes financeiros na União Européia, como paraísos fiscais, contas e orçamentos. “Minhas investigações são doutrinárias e teóricas, com foco na área científica, que é o que mais me interessa. Mas também fazemos pareceres sobre decisões jurisprudenciais”, esclarece.

Sobre a importância, Silva afirma que a atividade o insere num “network composto pelos maiores investigadores da área e cria um link com universidades européias que são excelência em pesquisa. Desta forma, posso escrever em alto nível e submeter minhas idéias ao sentido da crítica, além do amplo e privilegiado acesso a bancos de dados de trabalhos a serem publicados nos próximos anos, e publicar os meus em diversos países e idiomas. Também há um importante espírito de cooperação e humildade intelectual entre os membros que me enviam bibliografia em casa, de modo que não preciso perder tempo com deslocamento para encontrar os artigos, as vezes muito antigos e raros”.

O primeiro trabalho do egresso no IDPEE, foi entregue no último dia 31 e, segundo ele, será publicado em breve. O pesquisador, que veio passar férias no Brasil, retorna hoje (14) para Portugal, devido ao inicio do ano letivo em seu curso de doutorado e a outros compromissos na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

IDPEE
O Instituto de Direito Penal Econômico e Europeu é um centro universitário de investigação e ensino da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra que, sob a forma jurídica de uma Associação, se propõe realizar investigações, publicar estudos e ministrar ensino sobre a criminalidade econômico-financeira.

 

ASSUNTOS
RELACIONADOS