Entidades pedem urgência na votação de Resolução

29 | 05 | 2012
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente

Oito entidades da cidade protocolaram um requerimento para que a votação da Resolução 31/15 seja feita em caráter de urgência pela Câmara Municipal, visando atender ao anseio da população, que vem demonstrando descontentamento quanto ao aumento do número de vereadores de Prudente (de 13 para 19) em recentes matérias publicadas na imprensa local.

A Resolução 31/15 é um projeto feito pela Mesa Diretora para aumentar de 13 para 19 o número de vereadores na cidade de Presidente Prudente.

O requerimento junto a Câmara só foi feito após os docentes Sérgio Tibiriçá Amaral, que é coordenador do curso de Direito da Toledo e Marcelo Agamenon Goes de Souza, professor do mesmo curso das Faculdades Integradas Antonio Eufrásio de Toledo, terem elaborado um parecer jurídico.

Segundo Souza, as entidades o procuraram para saber se mesmo em ano eleitoral, o número de vereadores instituído pela Resolução 31/15 poderia ser diminuído.

O professor afirma que "não há problemas em alterar a Resolução 31/15, desde que a modificação seja feita até o dia 30 de junho, porque essa é a data limite para as prévias eleitorais partidárias, qual seja, quando os partidos escolherão seus futuros candidatos", diz.

As entidades que assinam o documento e defendem que o aumento é um desperdício de dinheiro público, pois deixaria ainda mais dispendiosa a máquina do Legislativo.

Por sua vez, os vereadores favoráveis ao aumento salientam que esse crescimento fará com que a população ganhe maior representatividade na Câmara diante do desenvolvimento do munícipio.

Saiba Mais – Na sessão do dia 26 de setembro de 2011, a Câmara Municipal aprovou por oito votos a quatro o aumento de 13 para 19 cadeiras no legislativo prudentino. O projeto, de autoria da Mesa Diretora, recebeu uma emenda assinada por oito vereadores, alterando essa composição.

O vereador Nico Rena, em janeiro deste ano, declarou a imprensa que foi pressionado por eleitores e por esse motivo voltou atrás de sua decisão sobre o aumento e lançou o projeto pedindo que a Resolução 31/15 seja revogada.   

Foto: Divulgação 

 

ASSUNTOS
RELACIONADOS