Estudantes farão mochilão pela América do Sul

27 | 12 | 2012
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente

Expectativa. Essa é a palavra que define a aventura de seis amigos, sendo que quatro deles são alunos da Toledo Presidente Prudente. O grupo irá fazer um “mochilão” de 30 dias visitando alguns países da América do Sul.

Marcos Danilo Castreghini, aluno de Sistemas de Informação da Toledo, conta que ainda no Brasil eles passarão por Campo Grande e Corumbá, cidade divisa com a Bolívia.

“Já em território boliviano, em Puerto Quijarro, nós iremos andar no tenebroso trem da morte que hoje é bem seguro. Depois iremos conhecer Santa Cruz de la Sierra e La Paz, nosso destino final”, explica. 

Em La Paz, os viajantes ficarão até o dia dois de janeiro e de lá seguirão rumo a Salar de Uyuni, onde está localizado o maior deserto de sal do mundo.

“Nessa cidade nós encontraremos hotéis de sal e também cactos que podem chegar a ter 10 metros de altura. De lá seguiremos para São Pedro do Atacama, nesse local está localizado o deserto mais árido do mundo e também vulcões, geyseres, lagos cristalinos onde a temperatura varia de 0º a 40º em menos de 24 horas”, expõe.

Os mochileiros ainda passarão pelas cidades de Arequipa, Huacachina e Cusco.

“Cusco na tradução da linguagem Quéchua (inca), quer dizer o umbigo do mundo. A cidade é o mais importante centro administrativo e cultural do Tahuantinsuyu (império inca). É uma pena pensar que quando os espanhóis chegaram lá eles dizimaram a população inca e suas construções quase que por completo; apesar disso podemos observar o que ainda sobrou”, lamenta.

Depois de passarem alguns dias em Cusco, os mochileiros seguirão viagem até a cidade perdida de Machu Picchu.

“Para chegarmos a Machu Pichu usaremos uma rota desconhecida, denominada trilha Salkantay, lá passaremos ao lado de montanhas gigantes e poderemos até observar avalanches em seus picos. São exatamente 5 dias e 4 noites entre vales e montanhas. A altitude será nossa maior inimiga e para combater o soroche (mal da altitude), são oferecidas folhas e chá da famosa coca para mastigarmos e tomarmos. A planta é uma ótima aliada para combater este mal” conta.

Após estarem em Cusco, os viajantes retornarão a cidade de Copacabana. No local eles verão o lago Titicaca que é conhecido como o mais alto do mundo e o segundo em extensão da América Latina.

Castreghini afirma que até onde foi possível, o grupo definiu hospedagem.

“Reservamos hotel em La Paz, para o ano novo, pois ficamos com medo de não ter mais vagas, mas com o resto nós não iremos nos preocupar agora, já temos certeza que iremos dormir no ônibus”, assegura.

O aluno espera conhecer lugares e pessoas diferentes, além de passarem por aventuras e muita diversão.

“Esperamos além de adquirir conhecimentos sobre diferentes culturas, povos e lugares também queremos estar mais em contato com a natureza e também compartilhar historias com diferentes pessoas com as quais cruzaremos ao longo do caminho da viagem”, finaliza.

ASSUNTOS
RELACIONADOS