IPT revela queda nos preços dos alimentos

07 | 01 | 2011
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente

No último mês, o Índice de Preços Toledo (IPT) registrou deflação de 0,05%. A pesquisa realizada no dia 2 de dezembro de 2010 constatou que o consumidor gastava R$ 341,50 para a compra de uma cesta básica em Presidente Prudente. Nesta pesquisa, realizada no dia 3 de janeiro, este valor chegou à marca de R$ 341,33.

O grupo de Alimentos foi o responsável por essa queda, registrando uma deflação de 0,86%. Os grupos de Limpeza e Higiene pessoal registraram aumento de 5,86% e 1,91%, respectivamente.

Apesar do aumento dos preços nos grupos de Limpeza e Higiene pessoal terem sido maiores que a queda do grupo de Alimentos, a deflação ocorreu devido ao grupo de Alimentos representar aproximadamente 81% do valor da cesta básica do Índice de Preços Toledo.

Os produtos que mais contribuíram para esta queda foram o feijão carioquinha (1kg) com queda de 30,40%, e a linguiça fresca Kg com queda de 7,41%.

A maior alta entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011 ocorreu no grupo de Limpeza, com 5,86%. Os produtos que mais contribuíram para este aumento foram o desinfetante tipo (pinho) 500 ml, com aumento de 28,14%, e o sabão em pó (1kg), com aumento de 3,49%.

O grupo de Higiene Pessoal, com alta 1,91%, teve como principais influenciadores o papel higiênico (4 un.30m), com aumento de 11,78%, e o desodorante spray (90-100ml), com aumento de 9,52% em seus preços.

Alguns produtos apresentaram uma significativa diferença de preços entre os locais pesquisados, como no caso da água sanitária (1L) com variação de 96,97%, cujos preços se encontram entre R$ 0,99 a 1,95. E do Alho (1kg), sendo encontrado entre R$ 9,50 e R$ 17,98, com variação de 89,26%.

A concorrência entre os supermercados dá ao consumidor a oportunidade de economizar até 42%, pois comprando uma unidade de cada produto pelo maior preço, ele gastaria R$ 156,58. Já se a sua compra fosse feita pelo menor preço de cada produto, o total gasto seria de R$ 110,39 economizando assim R$ 46,19.

O IPT acumula uma alta de 10,89% nos últimos 12 meses, percentual muito próximo ao IGP-M.

A pesquisa teve a participação dos alunos: Maria Luisa de Lima Pastorim, Felipe José Ferreira Damaceno, Murilo Toledo Andrade de Oliveira, Cláudia Vieira do Nascimento sob orientação do Economista Walter K. Dallari e da Supervisora de Prática Profissional Maria Lúcia Ribeiro da Costa.

Veja a tabela de preços.

ASSUNTOS
RELACIONADOS