Monografia aborda Tráfico de Pessoas

08 | 11 | 2012
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente

A monografia da aluna do 8º termo do curso de Direito da Toledo, Letícia Santello Bertacimagemo aborda um problema bastante atual, porém, preocupante: o tráfico de pessoas para a exploração sexual.
 
Seja para trabalhos no Brasil ou no exterior, Letícia conta que a decisão pelo tema surgiu durante os encontros para a preparação do projeto com o auxílio do seu orientador, o professor Mário Coimbra.
 
“Isso aconteceu já há certo tempo e obtive maior motivação quando percebi que havia poucos livros e outras referências sobre o assunto, ou seja, é um problema grave que precisa ser estudado”, diz.
 
Quando questionada sobre o tema da monografia estar sendo apresentado em uma novela em horário nobre televisivo, Letícia enfatiza que apesar da escolha do tema de seu trabalho ter acontecido antes da apresentação da nova atração televisiva, julga ser extremamente importante tal abordagem, já que chama atenção da população e de autoridades para o problema”, comenta.

A aluna diz que alguns estudos nortearam sua pesquisa, como o Pestraf (Pesquisa Nacional sobre o Tráfico de Mulheres, Crianças e Adolescentes), financiada pelo Fundo Nacional da Criança e do Adolescente, além de levantamentos feitos pela ONU (Organização das Nações Unidas).

“Conseguimos detectar que as pessoas vítimas de tráfico possuem de 15 a 35 anos, possuem um nível baixo de escolaridade, são desprovidas de informações sobre seus direitos e são negras”, revela.

Além disso, Bertaco diz que uma situação preocupante é que as vítimas não se consideram vítimas, já que na maioria das vezes, não procuram a polícia, justamente por estarem em situação ilegal nos Países para os quais são enviadas.

“Os locais em que brasileiras estão mais presentes por meio da exploração sexual são diversos, como Holanda, Portugal e Espanha e além disso, o Estado que mais envia vítimas para o exterior é Goias”, conta.

A estudante, que concluirá em 2013 sua graduação, acrescenta que as vítimas são atraídas pelas ofertas atraentes de emprego no exterior com rendas altas, moradias e alimentação inclusas, porém, quando chegam ao local ofertado, são submetidas a trabalho escravo e se cogitam voltar ao País de destino, necessitam antes pagar a dívida com os traficantes de pessoas.

“E essas dívidas são praticamente impagáveis, já que tudo o que elas consomem, desde roupas até o local onde moram são cobrados de forma absurda”, relata.

Para concluir, Letícia alerta para que as pessoas que recebem ofertas para atuar como modelos, estejam sempre atentas às  informações, principalmente quando elas são tentadoras e prometem uma ‘nova vida’ para a candidata.

“Temos agências que enviam modelos ficha branca e ficha rosa para eventos e outras participações, sendo que a ficha rosa é pouco conhecida pelas pessoas, mas trata-se de modelos que são submetidas à prostituição nacional e internacional”, conclui.

A apresentação da monografia de Letícia Santello Bertaco acontecerá no dia 5 de novembro, às 17h30, na Toledo Presidente Prudente.

ASSUNTOS
RELACIONADOS