Segundo IPT, cesta básica sofreu inflação de 1,46%

09 | 05 | 2011
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente
Assessoria de Comunicação Toledo Prudente

No último mês, Índice de Preços Toledo – IPT registrou inflação de 1,46%. A pesquisa realizada no dia 3 de abril constatou que o consumidor gastava R$ 340,76 para a compra de uma cesta básica em Presidente Prudente. Nesta pesquisa, realizada no dia 3 de maio, este valor subiu para R$ 345,74.

O grupo de Higiene Pessoal apresentou a maior alta, registrando uma inflação de 13,07%. O grupo de Limpeza registrou alta de 8,60%. O grupo Alimentos seguiu rumo contrário e apresentou queda de 0,61%, em sintonia com os índices nacionais de preços divulgados pelo IBGE.

Os produtos que mais contribuíram para esta elevação nos preços foram o creme dental (90g), com alta de 16,27%, e a batata (kg) com alta de 74,25%, entre os meses de abril e maio de 2011.

No grupo de Limpeza, os produtos que mais contribuíram para a alta foram o desinfetante (tipo pinho) (500ml), com alta de 25,57%, e o sabão em pó (1kg), com alta de 8,96% de um mês para o outro.

 No grupo de Alimentos, os produtos que mais contribuíram para esta queda foram o tomate (Kg) com baixa de 48,16% e a cebola (kg)  com baixa de 23,85%.

Alguns produtos apresentaram uma significativa diferença de preços entre os locais pesquisados, como no caso da papel higiênico (4un. 30m – fl simples) sendo encontrado nos valores de R$ 1,35 e R$ 2,25, com variação de 66,67%, e o tomate (KG) com variação de 123,47%, cujos valores estão entre R$ 0,98 e R$ 2,19.

A concorrência entre os supermercados dá ao consumidor a oportunidade de economizar até 38%, tendo em vista que comprando uma unidade de cada produto pelo maior preço, ele gastaria R$ 155,86, já se a sua compra fosse feita pelo menor preço de cada produto o total gasto seria de R$ 113,08, economizando, assim, R$ 42,78.

Em relação aos preços da cebola e da batata, que registraram fortes elevações, os especialistas afirmam que o principal fator é o excesso de chuvas do começo do ano. “As plantações foram afetadas e a produção fica com um custo maior. Isso é repassado ao consumidor”, comenta Antônio Evaldo Comune, coordenador do Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da USP.

O IPT acumula uma alta de 4,97% nos últimos 12 meses.

A pesquisa teve a participação dos alunos: Maria Luisa de Lima Pastorim, Felipe José Ferreira Damaceno, Murilo Toledo Andrade de Oliveira, Mário Humberto Salvador Júnior, Ricardo Peretti, Gustavo Molina Momiy, Ricardo Barbosa Dansceri, Maria Angélica Coimbra Araújo, sob orientação do Economista Walter K. Dallari e da Supervisora de Prática Profissional Maria Lúcia Ribeiro da Costa.

Veja aqui a pesquisa completa.

ASSUNTOS
RELACIONADOS