Toledo Prudente investe em formação docente sobre as competências socioemocionais

19 | 10 | 2023
Lais Ernesto
Lais Ernesto

Mais do que o compromisso com a formação de profissionais qualificados, a Toledo Prudente tem a preocupação com a vivência acadêmica, no que envolve também o bem-estar do estudante. E, para contribuir com a educação de qualidade, o Centro Universitário investe em constantes formações docentes.

A prática já é uma tradição na Toledo Prudente. Porém, com a necessidade de trabalhar as competências socioemocionais, o Centro Universitário desenvolve, com os docentes, o curso “Competências socioemocionais para professores e gestores escolares”.

A formação é oferecida pela Academia de Professores, da Semente Educação, abordando, em módulos, as principais competências a serem desenvolvidas pelos professores.

Tiago Grajanin, coordenador de Planejamento e Inovação da Toledo Prudente, está à frente da iniciativa que contribui com a formação docente. O também professor comenta que a necessidade surgiu com o aumento da demanda de trabalhar com o socioemocional dos estudantes.

“A ideia da formação surgiu com a crescente compreensão de que o sucesso acadêmico e profissional não se resume apenas ao domínio de conhecimentos técnicos, mas também do desenvolvimento das habilidades socioemocionais. Essas habilidades são fundamentais para promover o bem-estar dos estudantes, melhorar a qualidade das interações no ambiente universitário e preparar os alunos para os desafios do mundo contemporâneo”, comenta o coordenador.

Para ele, é de fundamental importância trabalhar o assunto dentro e fora da sala de aula. “O desenvolvimento das competências socioemocionais entre os professores é essencial devido a várias razões, incluindo a criação de um ambiente de aprendizagem positivo, o fortalecimento da resiliência e bem-estar dos professores, a melhoria nos relacionamentos com os estudantes e o alinhamento com a missão da instituição ‘desenvolver pessoas para serem protagonistas do seu próprio destino”, acrescenta.

Sobre o conteúdo

Celso Lopes de Souza, co-fundador da Semente Educação, criou o programa com a finalidade de desenvolver o ensino de habilidades socioemocionais nas instituições de ensino.

O médico psiquiatra explicou que o objetivo do curso de formação de professores é ajudar a formar educadores para preparar alunos para o mundo. Relacionando com a velocidade das transformações tecnológicas, sociais e os desafios futuros.

“E é esse o papel da formação. Uma atualização sobre as competências: persistência, responsabilidade, foco, imaginação criativa, entre outras. Existem, também, as competências do relacionamento interpessoal como: empatia, iniciativa social, respeito e a capacidade de lidar com os estados do medo (ansiedade, preocupação), da raiva (irritação, frustração) e da tristeza (da desesperança ao luto)”, salienta.

Celso enfoca que é necessário trabalhar com os alunos: foco, persistência e modulação do medo e podemos observar nas práticas docentes onde existem oportunidades para ensinar isso.

“Em resumo, o que precisamos ter na bagagem são os instrumentos técnicos e saber lidar com situações de incerteza, ser flexível, cooperar em larga escala, capacidades essas que são chamadas de socioemocionais. Essa iniciativa que a Toledo Prudente está assumindo mostra uma visão para frente e necessária. Não temos tempo a perder”, comenta.


Ponto de vista

Luciano Osako foi um dos docentes da Toledo Prudente que fizeram o curso. O professor conta que o tema é atual e de suma importância.


“O curso foi uma excelente oportunidade para aprimorar os conhecimentos necessários no exercício da docência, nos revelou a importância de nos comunicarmos com os alunos sempre de modo empático e entendo que as emoções devem buscar engajamento através da empatia”, comenta o docente.

Para ele, as competências socioemocionais são fundamentais para o desenvolvimento dos alunos. “Incorporar as habilidades como empatia, autogestão emocional, capacidade de comunicação e resolução de conflitos, ajuda a desenvolver indivíduos preparados para as futuras demandas profissionais”, conclui.